Extensão dos respiros do Suzuki Jimny

Extensão dos respiros do Suzuki Jimny

Por Daniel
dom, 01/05/2011 - Atualizado 2 anos atrás
Posted in:
0 comments

Modificação simples para a extensão dos respiros do diferencial e da caixa de transferência do Jimny. Esta modificação permite preservar o óleo e os componentes por mais tempo mesmo após travessia de rios.

O Suzuki Jimny é um jipe versátil e bem construído, ainda assim, dependendo das condições de uso que se pretende para este veículo tornam-se necessárias algumas modificações. Uma destas modificações é a extensão dos respiros dos diferenciais e da caixa de transferência.

Os diferenciais do Jimny possuem pequenas válvulas no topo da carcaça, estas permitem a saída do ar quando aquecido impedindo o dano nas juntas e até o vazamento de óleo. Quando não há pressão no diferencial, uma mola no interior válvula empurra um disco de borracha que veda o respiro.

Ao atravessar riachos ou poças de água profundas (altura superior a metade de roda) existe o risco de entrada de água no diferencial, fato este que leva a contaminação do óleo e em médio prazo à oxidação e desgaste excessivo das engrenagens. Os motivos para essa entrada de água são diversos variando desde a presença de um vácuo intenso no interior do diferencial que acaba por abalar a vedação dos retentores até o travamento da válvula de retenção por barro ou excesso de sujeira.

A caixa de transferência e a caixa de câmbio também estão sujeitas a este risco. A caixa de transferência conta com DUAS válvulas de retenção e DOIS respiros. A caixa de câmbio, por incrível que pareça, ao invés da válvula de retenção possui uma extensão do respiro até um ponto alto do compartimento do motor.

A proposta deste texto é demonstrar como estender os respiros dos diferenciais e da caixa de transferência até um ponto alto do motor, assim como ocorre no câmbio. Trata-se de um procedimento simples, barato (aprox. R$ 30) e rápido (cerca de 1h) que pode evitar maiores problemas no futuro.

Cabe ressaltar que eu particularmente nunca tive problemas com a entrada de água nos diferenciais. Ao inspecionar as válvulas originais constatei que propiciam uma excelente vedação mantendo, inclusive um certo vácuo no interior das caixas de engrenagens. Ainda assim, em função da construção do dispositivo, a entrada de sujeita entre o disco de vedação e o respiro é possível o que pode comprometer a eficiência do sistema em longo prazo.

NOTA: Peço desculpas pela sujeira em todas as peças. O carro havia a pouco retornado de uma trilha.

Materiais e ferramentas

  • Alicate grande
  • Chave de fenda de cabo comprido
  • Flanela para a limpeza das peças e dos locais de instalação
  • 6 metros de mangueira de borracha com reforço em malha trançada (300psi). Diâmetro nominal de 1/2 polegada.
  • 1 metro de mangueira de borracha com reforço em malha trançada (300psi). Diâmetro nominal de 1/4 polegada.
  • 1 metro de mangueira de borracha com reforço em malha trançada (300psi). Diâmetro nominal de 3/8 polegada.
  • Abraçadeiras de aço para mangueira de 1/2 polegada.
  • 3 Derivações em "T" com espigão para mangueiras de 1/2 polegada.
  • Abraçadeiras plásticas Hellerman de 140mm (fitas de nylon com trava).
  • Adaptador para redução de mangueiras de 1/2 polegada a 3/8" *.
  • Adaptador para redução de mangueiras de 1/2 polegada a 1/4" **.

* Como este tipo de redução de 1/2" para 3/8" em espigão não é comum no mercado, como alternativa é possível utilizar um tubo com diâmetro externo de 10mm para fazer a ligação dos dois trechos.

** É possível inserir a mangueira de 1/4" dentro da mangueira de 1/2" e fixar com uma abraçadeira.

Manutenção periódica

  • A cada troca de óleo ou lavagem da parte inferior do veículo, verificar a fixação das abraçadeiras e possíveis danos às mangueiras, em especial das mangueiras instaladas na caixa de transferência.
  • Para testar a estanqueidade da instalação basta assoprar na ponta da extensão dos respiros.

Passo a passo da instalação

Breather materials
Materiais necessários. Mangueiras de borracha 300psi (1/2", 3/8" e 1/4"), Adaptador espigão em "T", abraçadeiras, tubo intermediário e abraçadeiras Hellerman.

 

Valve removal breather.
Retirar as válvulas originais dos respiros dos diferenciais. Utilizar uma alicate grande e uma boa dose de paciência. Cuidado para não danificar o respiro do diferencial. Nota: Não é recomendável reutilizar ou reinstalar as válvulas.

 

Rear breather installation
Iniciar a instalação de trás para frente. Limpar bem o respiro e instalar a mangueira de 1/2" nos diferenciais. Passar a mangueira por cima do tanque de combustível deixando um certo comprimento para a movimentação do diferencial. Evitar torcer a mangueira e o contato com escapamento.

 

Transfer case breathers.
Prosseguir para a instalação da caixa de transferência. O respiro menor possui uma mangueira que pode auxiliar nas conexões.

 

Smaller breather connection.
No meu caso, encaixei a mangueira original do respiro pequeno na mangueira de 1/4" e instalei a abraçadeira. Existem outras formas de fazer esta conexão. Certificar-se de que a conexão final ficou bem firme e que a mangueira não vai tocar no eixo cardã.

 

Smaller breather without the cap
O respiro maior da caixa de transferência possui um acesso difícil e uma saliência para conexão pequena (cerca de 4mm de altura).

 

Larger breather after installation
A conexão pode da caixa de transferência deve utilizar um mangueira de 3/8". Conferir se a mesma ficou firme após a instalação.

 

Installation in the front differential
A fixação da mangueira no diferencial dianteiro é análoga. Cuidados devem ser tomados para evitar que a mangueira fique distante da mola, da caixa de roda e do bloco do motor. Uma curva para frente conforme indicado na foto, evita amassar a mangueira.

 

Holding the hoses
Encaminhamento da mangueira junto às linhas dos freios. Não é recomendável fixar a mangueira nos tubos dos freios. Procurar pontos de fixação junto aos suportes.

 

Hose split
Divisão das linha para o diferencial dianteiro e saída final. Notar que não foram usadas abraçadeiras no conector tipo "T", caso algum galho ou objeto estique uma das mangueiras, o conector se solta impedindo danos maiores.

 

Final siphon
Acabamento final no compartimento do motor. A curva para baixo propicia uma proteção do tipo sifão. O comprimento adicional permite assoprar a linha periodicamente para verificar vazamentos nas conexões dos diferenciais e da caixa de transferência. Um pedaço de estopa ou tecido na ponta do tubo evita a entrada de poeira e insetos.