Embalar a bicicleta para transporte em viagens

Embalar a bicicleta para transporte em viagens

Por Daniel
qui, 19/01/2012 - Atualizado 2 anos atrás
Posted in:
0 comments

Método para embalar a bicicleta que dispensa o uso do "mala-bike" permitindo participar de viagens de cicloturismo sem a necessidade de manter uma base fixa para manter a embalagem da bicicleta.

Uma bicicleta está longe de ser um objeto prático para transporte. Trens, ônibus, taxis, metrô e aviões. Praticamente todos os meios oferecem algum tipo de restrição ao veículo ecológico.


Neste artigo descrevo o método que utilizei em uma de minhas viagens cicloturisticas pelo Brasil e em outra internacional que contaram com transporte por taxi, avião, ônibus de linha e até o porta-malas de um veículo compacto (Palio). Graças à forma com que preparei as bikes, não tive quaisquer problemas, restrições ou tarifas extras por excesso de bagagem ou de tamanho.


Acredito que o principal diferencial desta minha preparação é a embalagem. Como ia realizar uma longa viagem de cicloturismo, não tinha espaço disponível para as enormes, pesadas e caras embalagens especializadas para transporte. Estas sacolas são muito práticas para viagens a destinos com uma base fixa (ex. hotel) porém obrigam você a pagar excesso de comprimento linear no avião e não permitem a colocação da mesma no porta-malas de um carro.


Depois de alguns dias considerando hipóteses para o embrulho optei pelo uso do jornal, sacos plásticos de lixo e fita adesiva. Tanto o jornal quanto os sacos plásticos são recicláveis e podem ser obtidos em qualquer cidade, estado ou país, ou seja, não é preciso carregá-los consigo durante o percurso sobre duas rodas. O rolo de fita é leve e ocupa pouco espaço no alforje (dá pra encaixar dois pares de meias dentro dele). O custo total da solução foi inferior a R$ 10,00 (um bom resultado se comparado aos R$ 400,00 da embalagem a venda nas lojas).


O nível em que a bicicleta é desmontada depende das ferramentas que você tem disponíveis e do risco de perder algum tipo de regulagem ou danificar as peças. Isso varia de caso para caso e não existe uma "recomendação oficial" ou "ideal". No meu, por exemplo, optei por deixar o garfo uma vez que a sua retirada implicaria em soltar todos os cabos e a possibilidade de perda de rolamentos.

Ferramentas e Material

As mesmas ferramentas necessárias para a desmontagem são necessárias para a montagem. As bicicletas de melhor qualidade vão precisar dos seguintes itens:

  • Kit de Chave Allen
  • Chave de boca 14mm/15mm para os pedais
  • Chave de fenda ou philips para acessórios (buzina, espelho, lanterna, etc..)
  • Bomba para a calibração dos pneus
  • Canivete para cortar a fita
  • Dois espaçadores para freio a disco hidráulico.

Bicicletas mais simples vão necessitar outras chaves de boca, usualmente dos tamanhos 10mm a 16mm. Para a embalagem, os seguintes materiais podem ser usados:

  • Jornal
  • 2 Rolos de fita adesiva para empacotamento 45mm x 45m (cada vez que a bike é embalada, cerca de 1 rolo é consumido)
  • 2 Sacos plásticos de 100L reforçados (os de jardinagem são melhores)

Parte I - Remoção das rodas e do selim

Remover as duas rodas. Os pneus devem ser esvaziados parcialmente, para que fiquem macios e não corram risco de dano em cabines não pressurizadas. Não esvaziar o pneu demais pois o mesmo servirá de proteção contra choques ao equipamento embalado.

O selim pode ser retirado com o canote ou, dependendo da geometria do quadro, pode ser apenas abaixado.

NOTA IMPORTANTE: Se a sua bicicleta possui freio a disco é necessário instalar um espaçador nas sapatas logo após a remoção das rodas. Se o espaçador não estiver instalado, qualquer pressão acidental no manete vai travar as sapatas levando à entrada de ar no sistema hidráulico e exigindo a realização de uma sangria.

Parte II - Remoção dos pedais

Remover os pedais. Lembre-se que o pedal da esquerda tem rosca inversa, ou seja, para retirá-lo é necessário virar a chave no sentido horário. Se possível, prender os pedais novamente ao contrário para evitar a movimentação da coroa (ver foto).

Parte III - Remoção do guidão

O guidão pode ser removido soltando-se os parafusos da mesa. Um cuidado adicional deve ser tomado para não torcer os cabos dos freios e do câmbio.


Caso você decida remover o garfo inteiro será necessário soltar o cabo do freio da frente. A maneira mais prática é através da própria manopla. Atenção especial deve ser dada aos rolamentos da direção para não perder as esferas que, em diversos casos vão sair rolando pelo chão.

Parte IV - Remoção do câmbio traseiro

Sem a roda traseira o câmbio fica exposto e pode ser facilmente danificado durante o transporte. Alguns ciclistas recomendam protegê-lo com peças de madeira ou caixas de papelão. Eu prefiro remover o câmbio, isso pode ser feito em questão de 5 minutos com uma chave allen. Não é necessário soltar o cabo. Ao contrário do que muitos pensam, o câmbio não perde a regulagem.
Para evitar problemas, preste atenção na forma com que o câmbio está encaixado. Você vai precisar saber disso para remontá-lo.

Parte V - Proteção dos cantos vivos e arestas

Com todas as partes desmontadas, usar feixes de jornal enrolado e fita para proteger os seguintes itens sensíveis:

  • Coroa.
  • Pinhão e eixos das rodas.
  • Ganchos de suporte das rodas dianteiras e traseiras.
  • Freios.
  • Corrente.
  • Trocadores de marcha e manoplas dos freios.
  • Encaixe do selim no quadro.
  • Câmbio traseiro (embrulhar inteiro no jornal).

Parte VI - Consolidação da embalagem final

Com os cantos protegidos é possível juntar todas as peças através de feixes de jornal e fita para formar o pacote. O guidão pode ser fixo no garfo e as rodas podem ser posicionadas sobre a lateral direita da bicicleta (lado da coroa).


Antes de colocar o conjunto no saco plástico, verificar que todas as peças estão bem amarradas e firmes. Chacoalhe o conjunto e se houver alguma parte solta ou ruído de metal, isolar com jornal e fita. O saco plástico serve apenas para proteger o conjunto da água e do pó, não tem qualquer função de sustentação ou proteção.


Para não perder os parafusos, grudá-los com fita adesiva assim que retirar da bicicleta e depois fixar no quadro. Não se esqueça da etiqueta com o nome, telefone e endereço.

Montagem

A montagem da bicicleta é um processo um pouco demorado que pode levar até 1h. Não tenha pressa para remover a embalagem e procure não forçar as roscas dos parafusos, todo o parafuso em uma bicicleta entra suave quando inserido no ângulo correto.


Certifique-se de que os freios estão funcionando antes de sair andando.

Tags