Comentar

Em abril de 2018, fiz Chapada dos Veadeiros, Jalapão e Chapada Diamantina em um Jimny.

 

No assunto "estradas de terra", posso afirmar que o teste  mais duro foi no Jalapão. Mas o carro saiu-se super bem: não atolei nem na lama, nem na areia. Sendo compacto, passa por qualquer trilha. Sendo período de chuvas nos Jalapão, algumas trilhas em solo de areia quase que desaparecem ou transformam-se em buracos, e isso nem foi transtorno para o carro, nem para mim enquanto motorista.

 

Ainda, no Jalapão, o consumo, mesmo em 4x4low, nunca foi inferior a 10 km por litro. Inclusive, certa vez, no Norte de Minas, numa estrada de areia com 90 km de extensão, fiz 12km por litro na tração 4x4low, a 60 km por hora. Mas o carro gasta muito em engarrafamentos de cidades, algo em torno de 5km/litro. De qualquer forma, minha média de consumo na montanhosa  Belo Horizonte é 10km/litro.

 

Sim, o carro "bate", pois foi feito para isso; caso contrário, se partiria ao meio.

 

Já cruzei leito de rios, em segurança, atendo ao aumento do fluxo de água. Se não houver cachoeira logo abaixo, o carro bóia. Inclusive, certa vez, transpassando um rio na região do Caraça-MG, e conduzindo por uma ilha de seixos bem no meio do rio, meu carro saiu da área seca e boiou. Rapidamente, eu percebi a situação e corrigi a rota pelo volante, quando então uma das rodas novamente acessou a área seca dos seixos.

 

É verdade que espaço para babagem, nem existe. Mas isso, na verdade, não chega a ser empecilho para um estradeiro.  Por outro lado, já carreguei muito peso: água, malas e peso denso com o bancos rebaixados. E este sobrepeso não alterou a força do carro.

 

Assim sendo: um excelente carro!

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.

Markdown